O que é Nistagmo patológico?

Cuidados com os olhos no verão
11 de dezembro de 2018
E se o seu filho tiver estrabismo infantil?
16 de janeiro de 2019

Nistagmo é o movimento involuntário realizado pelos olhos para compensar o movimento da cabeça. Ele é considerado normal, quando acontece com o intuito de acompanhar o movimento e focar em uma imagem. Porém, também pode ser considerado patológico ao acontecer mesmo com a cabeça parada, sendo causado por diversas condições como a labirintite, alterações neurológicas ou efeito colateral de medicamento, por exemplo.

Ao nos movimentar, especialmente em movimentos de cabeça, os olhos não se movem da mesma maneira. Se eles ficassem perfeitamente parados, nossa visão seria um completo borrão, pois não seria possível focar em algo. Para que isso não aconteça, existe o nistagmo.

Ele é formado por dois movimentos, um lento e um rápido. Durante o movimento, os olhos sempre estão fixos em algum ponto. Se a pessoa gira a cabeça para a direita, seus olhos usam o movimento lento para se mover para a esquerda no mesmo ritmo e, assim, compensar e ficarem fixos em um ponto. Quando se atinge o limite,o movimento rápido faz com que os olhos voltem à posição inicial.

O Nistagmo fisiológico acontece quando os olhos movimentam-se normalmente com o objetivo de focar uma imagem. Já o Nistagmo patológico ocorre quando seus movimentos acontecem mesmo quando a cabeça está parada ou de maneira incompatível com o movimento realizado, tornando-o mais perceptível.

O distúrbio pode estar constantemente presente ou aparecer apenas quando a cabeça se encontra em uma determinada posição, variando de acordo com a causa e a gravidade do caso.

O Nistagmo patológico pode ocorrer se qualquer um dos mecanismos usados no controle ocular apresentar desordem, como o reflexo de fixação, sistema vestibular ou sistema nervoso integrador. Normalmente, os movimentos involuntários ocorrem em ambos os olhos, por essa razão é classificado como nistagmo bilateral. Porém, ele também pode ocorrer apenas em um olho, sendo neste caso denominado nistagmo unilateral.

Podemos também classificar o a doença como pendular, quando a velocidade do movimento é a mesma em ambas as direções. Ao contrário, se os olhos se movem lentamente para uma direção e rapidamente para outra, classificamos o nistagmo como vestibular.

Além disso, a disfunção pode ser categorizado em horizontal, vertical ou rotatório. No horizontal, os movimentos costumam ter amplitude baixa e acontecem horizontalmente. O vertical se apresenta por movimentos para cima e para baixo, também de baixa amplitude. Já o rotativo ou rotatório, ocorre quando os movimentos tem uma forma rotativa ou circular, como se os olhos estivessem a rodar.

  • Dentre os sintomas da doença, estão os seguintes:
    Movimento involuntário dos olhos.
    Problemas para ver no escuro;
    Sensibilidade à luz (fotofobia).
    Reduzida acuidade ocular;
    Problemas com a percepção de profundidade;
    Manter a cabeça em posição inclinada;
    Problemas no equilíbrio e coordenação motora;
    Tonturas;
    Sensação de “terremoto”.

O tratamento do distúrbio depende do tipo de causa subjacente. Em sua maioria, não existe cura, mas existem várias intervenções que podem ajudar a melhorar a visão destes doentes. A oclusão dos olhos de forma alternada ou alguns medicamentos podem ser usados no tratamento. No caso de altos erros refrativos, o uso de óculos e lentes de contato ajudam a corrigir e a melhorar a visão do paciente. A mudança de óculos para lentes também pode ser benéfica. Em casos mais graves, a cirurgia também é comumente indicada.

O diagnóstico do nistagmo patológico só pode ser efetuado através de exame oftalmológico completo. O médico oftalmologista irá avaliar e recolher o histórico clínico do paciente, podendo recorrer a exames auxiliares de diagnóstico.